II END - Encontro Nacional de Desastres da ABRHidro

Data: 15/12/2020 à 18/12/2020
Local: Virtual
Mais informações: https://www.abrhidro.org.br/iiend

INCERTEZA E NÃO ESTACIONARIEDADE NA ANÁLISE DE FREQUÊNCIA DE PRECIPITAÇÕES MÁXIMAIS ANUAIS NO SUL DO BRASIL

Autores

Gabriel Anzolin, Debora Yumi de Oliveira, Pedro Luiz Borges Chaffe

Tema

Estudos relacionados a desastres meteorológicos

Resumo

Devido às mudanças hidroclimáticas observadas nas últimas décadas, houve um favorecimento do uso de abordagens capazes de considerar a não estacionariedade dos registros históricos na análise de frequência de extremos hidrológicos. Neste trabalho, testou-se a hipótese de que a presença de não estacionariedade em séries máximas anuais de precipitação justifica a utilização de modelos não estacionários para a análise de frequência de precipitações extremas. Para isso, foram avaliados os desempenhos de modelos estacionários e não estacionário para 489 registros históricos do Sul do Brasil. Os resultados deste estudo revelam que a seleção de modelos baseada em métricas como os critérios de informação e da validação dos modelos com o conjunto ótimo de parâmetros sugerem a seleção de um modelo não estacionário para previsão de extremos pluviométricos. Entretanto, quando a incerteza associada a estimativa dos parâmetros foi levada em consideração, o modelo estacionário mostrou performance superior, mesmo para séries não estacionárias. Estes resultados indicam que a maior incerteza associada ao modelo não estacionário é a principal limitação de seu uso, e destaca a importância de se considerar a incerteza na comparação entre modelos estacionário e não estacionário, além da necessidade de incorporar processos físicos capazes de explicar a evolução das tendências ao longo do tempo na formulação de modelos não estacionários.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com