XXII SBRH - Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos

Data: 26/11/2017 à 01/12/2017
Local: Florianópolis - SC
ISSN: 2318-0358
Mais informações: http://www.abrh.org.br/xxiisbrh

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES FONTES E ESCALAS DE INFORMAÇÃO DO RELEVO NA CARACTERIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS VISANDO À MODELAGEM DE CHEIAS

Código

PAP022765

Autores

Maíra Martim de Moura, Samuel Beskow, Zandra Almeida da Cunha, Fabrício da Silva Terra, Felício Cassalho

Tema

5 - Modelagem hidrológica, de sedimentos e de qualidade de águas

Resumo

A delimitação e a caracterização fisiográfica de bacias hidrográficas estão entre os principais procedimentos a serem realizados na maioria das análises hidrológicas e, geralmente, baseiam-se no Modelo Digital de Elevação (MDE). Os MDEs podem diferir em função do método de coleta dos pontos de elevação e/ou dos princípios usados para sua geração. Assim, o objetivo do trabalho foi investigar o efeito da forma de obtenção e da escala das informações de diferentes MDEs, empregando cartas topográficas na escala 1:50.000 como referência e também imagens SRTM 30m e 90m, TOPODATA e ASTER, sobre a delimitação automática de bacias hidrográficas e a caracterização do relevo e da rede de drenagem, tomando como base cinco bacias hidrográficas. Foram analisadas as seguintes características: área de drenagem, perímetro, altitude máxima e mínima, declividade média e leis de Horton e Schumm. Com base nos resultados obtidos, concluiu-se que, em geral: i) as áreas obtidas foram superestimadas em relação aos valores de referência; ii) os MDEs ASTER resultaram na superestimativa dos valores de comprimento total de cursos d'água; iii) os maiores erros de altitudes foram obtidos pelos MDEs ASTER e os menores pelo TOPODATA; e iv) as leis de Horton e Schumm variaram consideravelmente conforme a fonte.

© 2022 - Todos os direitos reservados - Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRHidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com