XIII SBRH - SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS

Data: 28/11/1999 à 02/12/1999
Local: Belo Horizonte - MG

CONTROLE DE CHEIAS: NOVAS ABORDAGENS AO PROBLEMA

Autores

Marcos de Araújo Paz, MARINHO G. ANDRADE, Adriano Alber de França Mendes Carneiro, Marcelo D. Fragoso

Resumo

O propósito deste trabalho é analisar o desempenho de duas diferentes metodologias quanto ao problema de controle de cheias, aplicadas às usinas hidroelétricas. As metodologias abordadas são: o método da Curva Volume x Duração por Janelas, assim denominado pois trata-se de um método que modifica o modelo de Beard (1963) com o objetivo de realizar alocação variante no tempo para o volume de espera; o outro é o método por Equações Diferenciais Estocásticas, que modela a onda de cheia, passando pelo reservatório, como um processo de difusão, nesta abordagem utiliza-se métodos de inferência bayesiana para estimar os parâmetros do modelo, sendo aplicados algoritmos de simulação de Monte Carlo em Cadeia de Markov (MCMC). A usina escolhida para testes é a Usina Hidroelétrica de Chavantes, situada na bacia do rio Paranapanema. Os modelos são comparados considerando-se número de falhas no controle de cheias, intensidade das falhas e impactos causados pela alocação de volumes de espera na usina, em relação ao compromisso de geração de energia. Visando conciliar geração de energia e controle de cheias é necessária a alocação do menor volume de espera possível, considerando o risco de que o reservatório não seja capaz de controlar a cheia._x000D_ _x000D_ _x000D_ _x000D_

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com