II END - Encontro Nacional de Desastres da ABRHidro

Data: 15/12/2020 à 18/12/2020
Local: Virtual
Mais informações: https://www.abrhidro.org.br/iiend

TRANSPORTE DE SEDIMENTOS EM SUSPENSÃO NO RIO PARAOPEBA APÓS O ROMPIMENTO DA BARRAGEM DE REJEITOS

Autores

EMILIA YUMI KAWAGUCHI, Luiza Clemente Cardoso, BÁRBARA HENRIQUES DE OLIVEIRA L. CORDEIRO, Alice Silva de Castilho, fernando silva rego, Marlon Marques Coutinho

Tema

Estudos de caso de grandes desastres (naturais/tecnológicos)

Resumo

O artigo apresenta os resultados do monitoramento de sedimentos em suspensão nas estações fluviométricas da Rede Hidrológica Nacional do rio Paraopeba após a ruptura da barragem de rejeitos no período de 26/01/19 a 31/03/20. Verificou-se que foram transportadas cerca de: 630 mil toneladas em Alberto Flores, 1.918 mil toneladas em Mário Campos, 3.299 mil toneladas em Ponte Nova do Paraopeba e 904 mil toneladas em Ponte da Taquara de sedimentos em suspensão. Considerando que a vazão média nos meses de fevereiro a abril de 2019 foi cerca de 50% da média histórica, a quantidade de sedimentos em suspensão transportada esperada era da ordem de 40 mil toneladas neste período. Um valor muito menor do que o que foi transportado, em função da ruptura. Nos meses seguintes as vazões abaixo do esperado resultaram em valores mensais de descarga sólida inferiores à média no mês de agosto. Situação diferente foi verificada no primeiro trimestre de 2020 quando o transporte de sedimentos superou o volume transportado em 2019 ficando acima do esperado no período, em função da cheia. Os valores de descarga sólida diária foram estimadas através de curvas chaves de sedimento (QxQss) estabelecidas com base nos dados coletados durante o monitoramento em campo.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com