XIII ENAU - Encontro Nacional de Águas Urbanas e III SRRU - Simpósio de Revitalização de Rios Urbanos

Data: 19/10/2020 à 22/10/2020
Local: virtual
ISSN: 2359-1897
Mais informações: https://www.abrhidro.org.br/xiiienau-iiisrru

INSERÇÃO DO SISTEMA DE DRENAGEM NA CONCEPÇÃO DOS PROJETOS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO - SUA PERTINÊNCIA, VIABILIDADE E ADMISSIBILIDADE

Autores

LUIZ FIRMINO MARTINS PEREIRA

Tema

ENAU - 04 - Mitigação de impactos e recuperação de ambientes fluviais urbanos

Resumo

Certamente o maior problema de poluição dos rios urbanos brasileiros decorre do despejo de esgotos sem tratamento. Diversas fontes de informação apontam baixos índices de coleta e tratamento de esgotos, e parte reflete na verdade o afastamento dos esgotos feitos por redes de drenagem pluviais. Os Planos de Saneamento até aqui elaborados consideram exclusivamente o uso redes separativas, deixando de lado o papel dos sistemas de drenagens, e por consequência, a possibilidade de interceptação dos esgotos domésticos que nelas correm. O que se pretende com esse artigo é discutir a pertinência, a viabilidade e a admissibilidade da interceptação dos esgotos que já correm nos sistemas de drenagem, a chamada coleta em tempo seco, semelhante aos sistemas unitários ou combinados. Países europeus, como Portugal, França ou Alemanha, em maior ou menor grau, utilizam os sistemas de drenagem para a coleta de esgotos e não pretendem desativar esses sistemas, ao contrário, vem aperfeiçoando o manejo destes para diminuir o efeito de descargas de excedentes poluídas para os meios receptores. A discussão passa pela ausência de normatização no Brasil a respeito dessa metodologia, o que faz com que a mesma não seja considerada, como deveria, nos planos e metas para o saneamento.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com