XXIII SBRH - Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos

Data: 24/11/2019 à 28/11/2019
Local: Foz do Iguaçu - PR
ISSN: 2318-0358
Mais informações: https://eventos.abrh.org.br/xxiiisbrh/

ANÁLISE COMPARATIVA DAS FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO PE3D E SRTM NA AVALIAÇÃO DE RESERVATÓRIOS DE PERNAMBUCO

Autores

Thaise Suanne Guimarães Ferreira, Maria Alice Britto Feitoza, Hellen Xavier Tavares Vasconcelos, José Almir Cirilo, Sabrina da Silva Corrêa

Tema

01 - Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos

Resumo

O processo de assoreamento é o principal problema que afeta os reservatórios implicando na diminuição do volume de água utilizável. Além disso, são frequentes os erros de referenciamento altimétrico nos dados oficiais das curvas cota-área-volume. Diante dessa problemática, é importante a reavaliação da real capacidade dos reservatórios, através da utilização de dados atuais, para o melhor planejamento dos recursos hídricos. O presente artigo atualizou as curvas cota-área-volume dos mais importantes reservatórios pernambucanos, utilizando os produtos espaciais de alta resolução disponibilizados pelo Programa Pernambuco Tridimensional (PE3D) em paralelo com o Shuttle Radar Topography Mission (SRTM), de modo a comparar as respectivas ferramentas de geoprocessamento. Quatorze reservatórios foram analisados, sendo o de Serro Azul aquele que apresentou o resultado mais fidedigno. As cotas de referência das barragens de Algodões e Saco II não coincidem com as encontradas a partir dos dados espaciais. Jucazinho apresentou diferença de cerca de 126 e 182 milhões com o PE3D e SRTM, respectivamente, incompatível com apenas a hipótese de assoreamento . Está evidente a redução da capacidade de armazenamento dos reservatórios e a existência de erros nos dados oficiais, e assim a atualização das curvas de acumulação é essencial para o desenvolvimento de planos operacionais mais realistas.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com