XXII SBRH - Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos

Data: 26/11/2017 à 01/12/2017
Local: Florianópolis - SC
ISSN: 2318-0358
Mais informações: http://www.abrh.org.br/xxiisbrh

A EROSÃO DA ILHA SOLTEIRA NO RIO PARANÁ

Código

PAP023115

Autores

GERALDO WILSON JUNIOR, MÁRIO GRÜNE DE SOUZA E SILVA, Helio Ricardo Silva, João Henrique Pinheiro Dias

Tema

8 - Hidrossedimentologia

Resumo

Resumo - O assoreamento a montante e a erosão a jusante de reservatórios são consequências diretas da construção de barragens. A UHE Ilha Solteira foi construída de 1965 a 1978, para geração de 3.444 MW. Entre os efeitos morfológicos observados a jusante, destaca-se a erosão da ilha localizada a 1 km da barragem, a qual deu nome à UHE e à cidade da margem esquerda do Rio Paraná. O Objetivo Principal deste artigo consiste do Diagnóstico e Prognóstico das Evoluções Morfológicas da Ilha Solteira. Embora seu destino tenha sido traçado desde o Projeto Executivo da UHE, a população da cidade não se conforma com a perda deste bem turístico e ecológico, cuja superfície atual é de apenas 35 % da existente em 1973! O Objetivo Complementar consiste da apresentação de Medidas de Recuperação da Ilha, que evitem o seu desaparecimento. O artigo destaca as variações continuas e cíclicas dos regimes fluviais, em função da demanda horária de eletricidade. O que acontece durante um ano hidrológico nos trechos naturais de um rio, ocorre diariamente no trecho a jusante da UHE Ilha Solteira. A ilha permanece seca durante as horas de pequena geração e se inunda nas horas de maior demanda.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com