XV SRHNE - SIMPÓSIO DE RECURSOS HÍDRICOS DO NORDESTE

Data: 22/11/2020 à 26/11/2020
Local: Caruaru
ISSN: 2359-1900
Mais informações: https://www.abrhidro.org.br/xvsrhne/

ANÁLISE DO IMPACTO DA CONSTRUÇÃO DA USINA HIDRELÉTRICA DE XINGÓ NO REGIME DE VAZÕES DO RIO SÃO FRANCISCO

Autores

Ana Luíza Rodrigues da Silva Santos, Júlia Moura de Oliveira, Jordanna Misson Mota dos Anjos, Aline de Araújo Nunes, Mariany Elisa Faria Souza Rezende

Tema

01 - Hidrologia do Semiárido

Resumo

A construção de uma usina hidrelétrica afeta diretamente o regime de vazões do curso d?água no qual está inserida. Sendo assim, o presente trabalho tem o objetivo de abordar possíveis mudanças ocorridas na região à jusante da Usina Hidrelétrica de Xingó, mais especificamente nas proximidades dos municípios de Piranhas (AL) e Pão de Açúcar (AL), salientando as diferenças nos dados coletados em estações fluviométricas desta área ?localizadas no rio São Francisco, antes e após o início das atividades da UHE de Xingó. Para tal, foram utilizados dados de vazões e cotas diárias de duas séries históricas com 35 anos de dados (1979 a 2014), disponibilizados pela ANA. Esses dados foram tratados e manipulados, permitindo a análise do regime de vazões do rio São Francisco por meio de hidrogramas e curvas de permanência, sempre separando nos períodos anterior e posterior ao ano de 1994 (início da operação da Usina). A partir dos resultados obtidos, observou-se que após o início da operação da Usina Hidrelétrica de Xingó ocorreu uma redução nas vazões máximas. Contudo, não ocorreu um processo de regularização convencional, considerando que a Usina opera a fio d?água e que mesmo nos períodos de estiagem houve uma redução nas vazões mínimas.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com