XIV ENES 2020

Data: 09/11/2020 à 11/11/2020
Local: Campinas/SP
ISSN: 2359-2141
Mais informações: http://www.abrhidro.org.br/xivenes

INFLUÊNCIA DA PRESSÃO ATMOSFÉRICA NA AMOSTRAGEM DE SEDIMENTOS EM SUSPENSÃO COM AMOSTRADORES DE CONTÊINERES RÍGIDOS

Autores

Álvaro José Back, WALSZON TERLLIZZIE ARAÚJO LOPES

Tema

09 - MEDIÇÕES DO MOVIMENTO DE SEDIMENTOS: METODOLOGIAS E TÉCNICAS

Resumo

Ao amostrar sedimentos em suspensão por integração vertical usando amostradores com recipientes rígidos (garrafas), o limite de compressão de ar no recipiente deve ser observado. Nos diagramas para determinação da taxa de trânsito para amostragem de sedimentos apresentados nas várias publicações relacionadas no âmbito do Federal Interagency Sedimentation Project (FISP), é considerada a pressão atmosférica no nível médio do mar. O presente estudo avaliou o efeito da correção da pressão atmosférica com base na altitude do local nos tempos de amostragem. Foram consideradas altitudes de 0, 400, 800 e 1200 m, recipientes de 473 mL (pint), 946 mL (quarter) e 1000 mL (liter) e bicos de diferentes diâmetros (1/8 ", 3/16", 1/4 " e 5/16"). Os resultados mostraram que a profundidade máxima de amostragem varia com a altitude, com valores de 4,57 m, 4,33 m, 4,13 me 3,94 m, respectivamente. Também foi observado que, em altitudes mais altas, o limite de compressão se torna mais limitante do que o volume mínimo da amostra em menores profundidades. No entanto, essa alteração implica uma redução no tempo mínimo de amostragem inferior a 10% se o valor no nível médio do mar for considerado

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com