XII ENREHSE - Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe

Data: 18/03/2019 à 22/03/2019
Local: São Cristóvão - SE
Mais informações: https://www.abrhidro.org.br/xiienrehse

Dosagem ótima de tanino para pós-tratamento de efluente

Autores

MICHELLI FERREIRA DE OLIVEIRA, ISABELA FERREIRA BATISTA, Denise Conceição de Gois Santos Michelan, Luciana Coêlho Mendonça

Tema

Água para Todos: Não Deixar Ninguém para Trás

Resumo

Na estação de tratamento de esgoto (ETE), ocorrem vários processos e operações que buscam remover impurezas para melhorar a qualidade do efluente, promovendo assim menor carga orgânica, de nutrientes e de patógenos. Preocupados com os efeitos deletérios do despejo de efluentes sem tratamento adequado nos recursos hídricos, buscou-se utilizar o tanino vegetal como alternativa no tratamento de esgoto, podendo ser usado como coagulante no tratamento de esgotos domésticos de baixa carga e também no polimento de efluentes. O presente trabalho objetivou determinar a concentração ótima de tanino vegetal no pós-tratamento do efluente proveniente da ETE da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Foram analisados pH, cor, turbidez, sólidos sedimentáveis e sólidos totais, com base na variação da concentração do coagulante, de modo a observar qual dosagem do tanino apresentasse melhores resultados. Observou-se que o uso de tanino como coagulante não implica em alterações significativas no pH do efluente e que a quantidade de coagulante interfere diretamente nos resultados de sólidos sedimentáveis e na clarificação do efluente.Com isso, obteve- se 4 mL L-1 de uso de coagulante para eficiência de 40% e 43,3%, para cor aparente e turbidez, respectivamente.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com