XIV SRHNE - SIMPÓSIO DE RECURSOS HÍDRICOS DO NORDESTE

Data: 20/11/2018 à 24/11/2018
Local: Maceió - AL
Mais informações: https://www.abrh.org.br/xivsrhne

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE UMA VARIÁVEL CLIMÁTICA E DAS CHUVAS INTENSAS EM BELO HORIZONTE / MG, UTILIZANDO SÉRIE DE DURAÇÃO PARCIAL E MODELO ADITIVO GENERALIZADO (GAM)

Autores

Karine Dias Nogueira, WILSON DOS SANTOS FERNANDES

Tema

04. Eventos extremos e projeções climáticas no planejamento dos Recursos Hídricos

Resumo

Geralmente, uma análise de frequência de extremos hidrológicos é feita com a premissa de que a série de dados é estatisticamente estacionária. Contudo, tal premissa pode não ser constatada quando são considerados aspectos como a variabilidade climática, necessitando-se a utilização de técnicas apropriadas para realizar a análise de frequência, por exemplo, considerando-se que os parâmetros da distribuição de probabilidades variam no tempo, ou em função de uma covariável. Para se utilizar uma informação como covariável, é fundamental que ela apresente uma boa relação com a variável explicada (precipitação ou vazão). Assim, o presente trabalho visou analisar o comportamento de eventos extremos de precipitação, em Belo Horizonte-MG, com relação a uma variável climática atuante na região, a fim de se avaliar o potencial uso desta para estudos de análise de frequência não estacionária, como uma covariável. Foi ajustado um Modelo Aditivo Generalizado (GAM) para a relação entre o número de excedências de chuvas acima de um limiar e a média de 5 dias da anomalia de Radiação de Onda Longa (ROL5). Como resultado, observou-se a ocorrência de um maior número de excedências quanto mais negativos os valores da ROL5 e a diminuição dessas conforme as anomalias apresentaram valores mais positivos.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com