XII ENAU - ENCONTRO NACIONAL DE ÁGUAS URBANAS

Data: 20/11/2018 à 24/11/2018
Local: Maceió - AL
ISSN: 2359-1897
Mais informações: https://www.abrh.org.br/xivsrhne

QUALIDADE DA ÁGUA NO BAIXO RIO NEGRO, MUNICÍPIOS DE MANAUS E IRANDUBA, ESTADO DO AMAZONAS

Autores

DOMITILA PASCOALOTO, Climéia Corrêa Soares, Núbia Abrantes Gomes

Tema

04. Poluentes em águas urbanas: fontes, acumulação, carreamento e impactos

Resumo

O estudo foi desenvolvido em período de águas altas (enchente/cheia). Foram visitados doze sítios amostrais pareados, sendo seis em cada margem (esquerda: Manaus, direita:  Iranduba). As águas na margem esquerda foram menos ácidas e tiveram mais sólidos em suspensão, além de valores maiores de condutividade elétrica, alcalinidade, turbidez, silicato, oxigênio dissolvido, cloreto, potássio e nitrato. Nas águas da margem direita foram registrados valores maiores de cor, DQO, DBO, sódio e íon amônio. Houve variação significativa (p ? 0,05) entre as margens para as variáveis pH, condutividade elétrica, alcalinidade e nitrato. A análise de grupamento revelou dois grupos,  um deles com os quatro sítios amostrais da margem esquerda que apresentaram menor acidez. Os resultados indicam a interferência do rio Solimões sobre a qualidade da água na margem direita do baixo rio Negro em período de águas altas, principalmente em relação ao pH e condutividade, de forma que esse fator deve ser considerado quando se afirma que as mudanças próximo ao encontro das águas se devem (apenas) ao aporte de esgotos de Manaus. Novos estudos devem ser realizados para verificar se essa influência sobre a água do rio Negro permanece em alguns locais no período de nível baixo do rio Solimões.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com