I END - Encontro Nacional de Desastres da ABRH

Data: 25/07/2018 à 27/07/2018
Local: Porto Alegre-RS
Mais informações: https://www.abrh.org.br/iend

CORRELAÇÃO ENTRE CHUVA E MOVIMENTOS DE MASSA NAS REGIÕES DE BAIXADA SANTISTA/LITORAL NORTE DE ESTADO DE SÃO PAULO PARA PERÍODO DE 2013 À 2018

Autores

Daniel Metodiev, Márcio Andrade, Rodolfo Mendes, Márcio Moraes, Tiago Bernardes, Rafael Luiz, Juliano Coelho

Tema

3 - Previsão e mapeamento de movimentos de massa

Resumo

No Estado de São Paulo em 1988 foi criado o Plano Preventivo de Defesa Civil - PPDC que constitui um importante instrumento de gestão de áreas de risco de movimentos de massa de carácter preventivo com principal foco, a remoção preventiva das populações que moram nas áreas de risco de movimentos de massa. A principal operacionalidade do PPDC envolve o monitoramento dos índices pluviométricos (principalmente, a intensidade e a chuva acumulada de 72 horas). Essa ação necessita que os limiares críticos de chuva acumulada em 72 horas sejam atualizados com uma certa frequência conforme os fatores e as condições (naturais e antrópicas) da própria área de risco. Destaca-se a importância dos métodos empíricos para verificar a relação entre a chuva horária e chuva acumulada com as ocorrências de movimentos de massa para estabelecimento dos valores dos limiares críticos de chuva. O presente trabalho efetua uma avaliação do histórico das ocorrências de movimento de massa registrados nas regiões Baixada Santista e Litoral Norte do Estado de São Paulo para um período de 5 anos (2013 à 2018) considerando diferentes tipos de ocorrências (tipo de talude, magnitude e impacto). Assim procurou-se apresentar os valores de chuva específicos dentro dos quais aconteceu a deflagração da ocorrência conforme a sua característica natural e antrópica. Para efetuar a correlação entre as ocorrências e os dados de chuva foi criado um banco de dados separado por fonte de informação e município incluso no PPDC. Para mapeamento das ocorrências foram selecionados dados que possuíam um registro confiável de localização das ocorrências e dos pluviômetros do CEMADEN mais próximos a elas, horário da deflagração, classificação por tipo de talude, magnitude e impacto. A extração dos índices pluviométricos da estação mais próxima permitiu a realização dos cálculos da chuva acumulada em 1, 3, 6, 24, 48, 72 e 96 horas, sendo o índice de 72 horas o que foi adotado para este trabalho. Os gráficos de correlação divididos por tipo de talude, magnitude e impacto mostram como as ocorrências ficam agrupadas e separadas por limiares críticos diferentes, classificando as conforme o nível de influencia dos seus fatores desencadeadores, naturais e/ou antrópicos.

Sistema de publicação de trabalhos técnico ABRhidro - Associação Brasileira de Recursos Hídricos
Desenvolvido por Pierin.com